Hey, vejo que receberei mais uma visita hoje, venham tenho coisas muito antigas para mostrar, vamos lá! 

Viagens por lugares exóticos são recorrentes em campanha de RPG. Algumas são mais longas e outras mais loucas, mas todas podem ser igualmente divertidas. Hoje vamos viajar no tempo, mas especificamente para o passado longínquo, bem antes do ser humano pensar em existir.

Usar as eras pré-históricas é sempre interessante, mas podemos surpreender se não focarmos exclusivamente nos lagartões gigantes. Existiram milhares de outras espécies, insetos gigantes, mamíferos colossais e outros répteis diferentes dos dinossauros. Então eu lhes trago alguns exemplos de criaturas pré-históricas, que não são dinossauros, mas podem trazer a pré-história para sua mesa.

1 – Besta gigante

Vamos abrir nossas citações com uma criatura de peso, vamos falar um pouco sobre o Megatherium americanumO significado de seu nome é “besta gigante”, um nome justo para ele, sendo uma criatura que viveu a cerca de 20 mil anos atrás na América do Sul e na do Norte. Tendo uma média de 4 metros de comprimento, cobertas de pelos e possuíam enormes garras, proporcionais ao seu tamanho. Mesmo com toda essa corpulência, era um animal herbívoro e, se especula que possuíam hábitos pacíficos, tornando-o alvo de predadores de sua época.

registro fóssil do Megatherium

Representação do Megatherium

Imagine uma sociedade pré-histórica perdida no tempo, convivendo com essas e outras criaturas desse porte.  Talvez uma sociedade tribal tenha essas criaturas como totem ou principal alvo de caça. Quem sabe não constroem suas edificações, ferramentas e armas com seus ossos?

2 – Uma boca, quatro asas e cem olhos

Vamos continuar essa jornada ao passado, insetos também foram gigantes a milhões de anos atrás, e um grande exemplar dessa afirmação é a Meganeura monyiSendo bem semelhante com as libélulas atuais, essa espécie viveu a mais de 300 milhões de anos, o seu grande diferencial de suas parentes modernas é o seu tamanho. Foi registrado nessa espécie uma envergadura de 75 cm de largura, sendo assim o maior inseto voador registrado que já viveu, sendo considerado um animal de hábitos carnívoros.

Registro fóssil da Meganeura.

Representação artística da Meganeura

Bem, 75 cm de envergadura não é um gigante para nós, mas considerando que se tratava de um inseto, é um tamanho a se respeitar. Usar esse conceito de insetos gigantes e algo que se aplica em várias situações, com várias espécies diferentes. Você pode brincar com esse conceito e explorar outras espécies mais ameaçadoras, ou até mesmo aumentar o tamanho de algumas atuais dando traços pré-históricos a elas. Cruzar um pântano voando nessas coisas pode ser bem doido!

3 – Pássaro do terror

Nem só insetos ou répteis foram gigantes, do gênero de aves Phorusrhacosa surgiram poderosos predadores, entre eles a Phorusrhacos longissimusNão é à toa que recebeu seu apelido de “pássaro do terror”, pois se trava de uma espécie predadora que viveu durante o período do Mioceno e que media cerca de 2,5 metros. Se seu tamanho já não fosse ameaçador, ela possuía patas fortes com grandes garras e um poderoso bico, os quais usava para caçar.

Registro fóssil do crânio de Phorusrhacos longissimus.

Registro fóssil do crânio de Phorusrhacos longissimus.

Representação artística e de escala do Phorusrhacos longissimus.

Uma criatura dessas, não é difícil de imaginar na sua campanha, talvez como predador selvagem ou até mesmo como montaria, lembra dos chocobos de final fantasy e dos Peco-pecos de Ragnarok Online? Bom, o fato é que uma ave desse porte já é um monstro por si só.

4 – Olhe bem antes de mergulhar

Bem, dentro do time dos artrópodes gigantes, temos um colossal exemplar, o Jaekelopterus rhenaniaeParece que saiu de um filme de ficção cientifica, esse animal viveu a cerca de 390 milhões de anos atrás e media por volta de 3 metros, sem dúvidas foi um dos maiores artrópodes descobertos até hoje. Sendo considerado um grande predador, estima-se que vivia em ambientes aquáticas de água doce como rios e lagos, onde caçava com suas assustadoras garras e gigantes quilíceras, que podiam medir 46 cm.

Registro fóssil do Jaekelopterus Rhenaniae.

Representação artística e de escala do Jaekelopterus Rhenaniae.

 

Esse monstro de água doce é uma criatura bem particular, bem semelhante a um tipo de “escorpião aquático”, podemos imaginar ele em situações de emboscada, e esperando apenas um jogador distraído que atravesse um rio ou lago sem olhar para baixo.

5 – O Submarino vivo 

Como se na terra, no ar e na água doce, já não houvesse perigos suficientes, trago a vocês uma grande representante dos mares, o Dunkleosteus terrelli. Um peixe gigantesco, que viveu por volta de 360 milhões de anos atrás, e chegava a medir 6 metros de comprimentos e podem pesar cerca de 4 toneladas. Possuía parte do corpo coberto por placas de 5 cm de espessura e possuía uma mordida avassaladora.

Registro fóssil do Dunkleosteus terreli.

Representação artística e de escala do Dunkleosteus terreli .

 

 

Essa cara é o terror de qualquer jogador dentro da água, quem sabe não seja um desafio à altura de grandes aventureiros, pois derrotar uma criatura dessas em alto mar, não é tarefa pra qualquer um. Lutar com um gigante blindado em baixo d’água, que tem uma mordida que pode chegar a 250 kg de peso na mordida, é sim um ato louvável.

Agora é você quem decide se vai lançar uma viagem no tempo, invocar bestas antigas, se metamorfosear nelas ou apenas inserir um elo perdido no cenário

A ambientação é um dos fatores principais para imersão dos jogadores, diversificar esses ambientes é um ótimo exercício para mestres e mudar o ambiente sempre traz um “ar fresco” a mesa. Por isso, se achar interessante, tente usar algum ambiente pré-histórico ou algum elemento desses em algum momento da sua campanha e veja como jogadores reagirão. Não esqueça de expor essa experiência nos comentários.

 

Espero que tenham gostado das minha antiguidades, agora se me permitem, fiquei meio cansado lembrando do passado, vou me recolher, desejo a todos um bom dia!