Saiba mais sobre este suplemento fantástico baseado em The Witcher.

Hoje comento sobre um suplemento não oficial de cenário para Old Dragon ,escrito pelo Lobo Loss, do mundo de um jogo digital muito popular: The Witcher, O suplemento carrega o peso de adaptar essa famosa franquia, sendo muito feliz ao levar em consideração tanto os livros de Andrzej Spakowski quanto os jogos digitais da CD Project Red, que fizeram a fama do bruxão Geralt.

Para quem não conhece o mundo de The Witcher, é um cenário de baixa fantasia, que carrega consigo preocupações morais, política, preconceitos e misticismo. Neste contexto, existem os Bruxos: guerreiros errantes que vivem de contratos para caçarem monstros que invadiram o mundo após um evento chamado Conjunção das Esferas.

Clique e baixe o PDF

A decisão tomada de a ambientação ser após os acontecimentos dos livros e antes do primeiro jogo também parece acertada, uma vez que desperta o desejo e interesse por todo um âmbito geral do cenário e não somente a partir de The Witcher III, jogo mais famoso da franquia. Escolhe-se o reio de Teméria após uma guerra, contexto em que elfos são caçados, não-humanos são vistos com desconfiança, os bruxos estão em decadência e novas religiões surgem para saciar o povo.

Como acadêmica, organizo minha resenha a partir da tétrade elementar de Schell (2008), dividindo em Tecnologia, Estética, Mecânicas e Narrativa. Peguem suas espadas de prata e vamos lá!

Tecnologia e Estética – Cara a cara com o perigo!

Como o livro se apresenta em formato pdf, cabe juntar esses dois itens. O produto é muito bem apresentado, colorido e condizente com a atmosfera do cenário. Lindas ilustrações do próprio Lobo Loss e outros elementos ornamentais que, por vezes, deixam pesado demais visualmente, mas nada problemático.

A diagramação está adequada, apresentando alguns probleminhas em certos momentos no que diz respeito às ilustrações. Por vezes o texto é separado pelas ilustrações ou as imagens o sobrepõem numa pequena parte. Faltou revisão na numeração do sumário. Nada que atrapalhe a experiência da leitura.

Mecânicas – O mundo não é feito somente de bruxos, mas é deles

A adaptação é muito feliz num sentido geral, considerando algumas mudanças nos ajustes das raças para que dialoguem com o mundo e se preocupando com quesitos específicos. É dada relevante atenção às especializações exclusivas de acordo com facções do cenário, sendo um ponto alto do material. O cuidado, por exemplo, com a especialização “Feiticeira Elemental” é delicado e muito bem trabalhado. O mesmo pode ser dizer do panteão e especializações clericais.

Como o próprio Loss comenta, a grande dificuldade e diferencial deste projeto é a criação da classe bruxo, sendo o carro chefe do cenário. Como era de se esperar, num primeiro momento, ela parece inclusive desbalanceada, sendo mais forte que as demais. Porém, o que seria do mundo de The Witcher sem o protagonismo dos bruxos? Há uma tentativa de equilibrar essa diferença com os pré-requisitos de atributos e a criação de vantagens para a participação em facções/organizações para os não-bruxos, ainda assim, o uso dos sinais, poções, óleos e bombas (muito bem adaptadas dos jogos) além das vantagens das especializações das escolas, deixam a classe realmente diferenciada. Somada ainda a possibilidade para bruxos e magos utilizarem os locais de poder, que aumentam habilidades temporariamente.

Há uma sugestão de uso de criaturas do Bestiário do Old Dragon como comparação àquelas do cenário, o que se mostra pouco, mas suficiente para jogar. Já ouvi falar por aí que um bestiário próprio pode estar a caminho… Espero que sim!

Projeto gráfico lindíssimo!

Narrativa – Escolha o seu lado!

Talvez mais que as adaptações mecânicas, o suplemento encanta pela maneira que consegue inserir o leitor no mundo. O trabalho feito em pegar as informações dos livros e possibilidades dos jogos é ótimo! Há um cuidado em apresentar a contextualização histórica, religião, organização, facções, misticismo entre outros meandros do cenário. Informações que o tempo todo são retomadas nas explicações de cada capítulo e subcapítulo, não deixando com que o leitor se perca em meio a tantas facções e intrigas políticas. Talvez pudesse ter sido dada uma maior atenção à geografia, mas uma olhada com atenção no mapa sanam as possíveis dúvidas.

Conclusões

Se você é fã da franquia não irá se decepcionar com o suplemento! Loss consegue dar conta de trazer a atmosfera da criação de Spakowski e, ao mesmo tempo, incluir elementos essenciais trazidos nos games. Pessoalmente, fiquei muito satisfeita com o que li, inclusive não vejo a hora de jogar!

O conteúdo apresentado pro Lobo Loss é cuidadoso, respeitoso e divertido, suficiente para adentrar nesse incrível cenário tão querido para muitos!

Hora de aceitar um contrato!

 Referências

SCHELL, Jesse. The art of game design. Boca Raton: CRC Press, 2008.