Mergulhe conosco no sombrio cenário oficial de Old Dragon

Então… Ele chegou! Cruel, perigoso, vil, sádico e violento!

 

A Guilda dos Mestres recebeu da RBX o PDF do cenário oficial de Old Dragon que está chegando no mercado. Hoje temos o prazer de fazer uma breve resenha, viajando através das páginas deste livro irado!  Esperamos muito, mas valeu a pena!

Legião! Legião!

Legião é um cenário de fantasia sombria épica aonde os jogadores irão cumprir o papel de tentar se aventurar em um mundo se recuperando das perdas da guerra, ameaça de servos de um deus louco, cultistas mortos vivos, governos corruptos e fanáticos religiosos. Muitos ganchos de aventuras e possibilidades de campanhas são possíveis neste cenário de múltiplas influências.

 

A Introdução se dá com as dedicatórias dos autores Antônio Sá “Mr. Pop” Neto e Newton Nitro deixando claro o esforço, pesquisa e paixão no qual dedicaram a escrita e trabalho no cenário, que diga-se de passagem fora muito bem executado.

 

Eis as feras por trás de tudo!

Um jogo para gente madura

Legião é um cenário para gente madura, responsável e maior de idade. Temas como drogas, estupro, racismo, escravidão, fanatismo religioso, tortura e assassinato são tratados no seu conteúdo. Nada é o que aparenta, tons de cinza e sangue trazem a cor do cenário. Elfos são racistas e supremacistas; Os humanos são ignorantes, intolerantes e violentos e as outras raças também não deixam a desejar em suas descrições no cenário.

Se você não for capaz de digerir tais informações sem se chocar ou tratar de forma razoável este livro não é pra você.

 

 

Religião e cosmologia

Em especial os Deuses e a cosmologia do cenário dão o toque especial. Os Dois Deuses principais do Cenário são Aeliah-Valedaris-Hécatos, a Deusa das três faces e Urzoth. Os dois deuses se odeiam e se atraem mutuamente e nesta disputa entre eles encontram-se em Kadur, o cenário de Legião, que após tomarem de seus deuses originais eles retornaram à sua querela e disputam adoração da criação em busca de poder.

A narrativa de superação de panteões demonstra um profundo conhecimento de mitologias e religiões por parte dos autores, um ótimo trabalho de pesquisa fora feita na composição histórico filosófica do cenário. A Vida em Kadur é descrita no capítulo seguinte, explicando suas igrejas principais, a sociedade e cultura bélico religiosa do cenário.

Destaco a composição das Igrejas principais do cenário e a Deusa das Três faces que são constituídas de uma cisma após a morte de uma santa ungida, a influência cristã está na base do cenário, pois apesar de todo clima de tensão e desespero há uma salvação no além túmulo de Legião, ainda que os deuses sejam os culpados de toda desgraça que assola este cenário.

A arte do livro é divina!



Explorando Kadur

Os aventureiros em Kadur terão de lidar com os temas do cenário, a escravidão o acesso a magia é restrito para clérigos, feiticeiros que são caçados pelas Inquisições e mal vistos pela sociedade e os raríssimos magos, mas apesar desta descrição o tempo todo as resoluções de
problemas ao longo da narrativa do livro decorre de algum efeito mágico, ou seja ela é rara, poderosa e faz toda a diferença ao cenário.

O Cenário se passa 15 anos após a guerra das raças, uma última grande guerra que deixou marcas imensuráveis no cenário, um tempo curto que remete a feridas ainda não cicatrizadas por completo.

Ryanon, o continente principal é composto por Impérios, Reinos e Cidades Estado geralmente fortificados e em clima de uma eterna guerra. Muitas raças inteligentes compõem o cenário, uma coisa interessante é esta dicotomia da intolerância com a diversidade, em Legião o texto aborda muitos temas polêmicos sem ser apelativo e endossador de tais atitudes.

O Capítulo da geografia descreve as principais cidades, locais e te leva a viaja por kadur sem ficar com o texto cansativo que muitos livros de cenários costumam ter. Legião tem diversidade até mesmo nisto, pois descreve alegorias de sociedades reais sem ser depreciativo, em destaque deixo o Império Iboniano, o que mais achei interessante.

Ibonianos irados!

O Capítulo 4 Dividido em 4 categorias: Oração sobre as religiões; A pena sobre organizações influentes criminal e politicamente; espada sobre as legiões e companhias bélicas e por fim a Magia e a dinâmica dela no mundo. Estas categorias ajudam a compreender a dinâmicas das instituições do cenário e como
elas podem servir como inimigas, aliadas e/ou patronas dos jogadores.

Aventurando-se em Kaldur é um ótimo capítulo com excelentes ganchos e idéias de aventuras, em Legião pode-se jogar excelentes mesas com muitos temas, em destaque deixo as descrições de motivações dos aventureiros.

Old Dragon na veia!

O Capítulo 6 é o que traz as regras de Old Dragon a tona, até então era tudo descritivo e acessível a qualquer jogo ou sistema. As novas raças em destaque os Grizzis, criaturas obcecadas em colecionar e capacidade de xingar e ofender e o Tenebruns, párias sociais e mortos vivos.

As classes sofrem alterações para se adequar ao cenário, magos são raros e feiticeiros são a especialização mais acessível para conjuradores, apesar da perseguição e perigo. Quanto a equipamentos destaco a descrição das drogas, incluindo regras para dependência química. Descrição de doenças deixando o cenário ainda mais verossímil e por fim 3 novas criaturas do cenário e um glossário para facilitar pesquisa.

Legião pode ser usado com qualquer sistema, pois o livro trata mais do cenário do que de regras

 

Se não comprar Legião a Besta do Apocalipse vai te pegar!

Conclusões do Bardo

Legião é um ótimo cenário, com trabalho caprichado, e vale a pena ser lido e jogado. O Livro é bonito, com ótimas ilustrações, o texto nos leva a querer compreender este mundo sombrio e perigoso, diferentemente de muitos livros de cenários que vai caindo na descrição por descrição.

Com a vinda dos Romances a sua acepção ficará ainda melhor para se compreender o seu Espírito.

O Bardo recomenda!