Dungeon Crawler (invertido) de Horror Espacial sob uma nova perspectiva.

Alone Board game foi uma campanha bem sucedida do site de financiamento coletivo Kickstarter lançada em maio de 2017, todavia, foi reaberto no dia dos namorados de março acrescentando conteúdo a campanha original.

Dungeon crawler inverso?

Alone Board game é um “Dungeon Crawlers inverso” lançado pela Horrible Games, do designer Lorenzo Silva, mesmo de  Steam Park e Dragon Castle. Voltando ao tabuleiro, como explicar a definição de dungeon crawler inverso? Digamos que nos demais Dungeon Crawlers um grupo de heróis se aventurariam pelo tabuleiro contra uma inteligência artificial ou jogador representando uma consciência overlord dos perigos e adversários encontrados.  Em Alone temos apenas um jogador representando o herói, contra um a três jogadores, todos mentores afim de impedir um herói solitário de alcançar seus objetivos.

O Herói

O jogador do Herói terá que escolher o que seu personagem vai vestir, sendo que cada traje tem sua própria habilidade especial, desde o traje médico que lhe permite recuperar um ponto de vida e um ponto mental, até o traje do capitão que lhe permite rolar um dado a mais em combate. Claro que para cada traje há uma miniatura, está representando o traje e um personagem da tripulação, por exemplo, para representar o herói temos o engenheiro.  Ainda, os trajes/personagens não escolhidos podem encontrados e usados no jogo como companheiros. Quanto a mecânica, o Herói irá preencher a ficha jogador com tokens, fixando pontos de vida e mente, rastreador, locais para missões e tokens de turnos.

O cenário

No jogo, você pode jogar um cenário básico explorando a estação ou escolher um cenário do livro de campanha com fatores como textos e continuidade da estória, estas possibilidades aumentam consideravelmente o efeito replay do board game. Em um cenário básico, há o sorteio aleatório de três cartas de missão, sendo 21 cartas no total, que são os objetivos do Herói.  Duas destas missões são missões primárias. Um deles oferecerá um upgrade para o Herói, enquanto o outro dará ao Herói uma penalidade para uma de suas ações normais e uma razão para obter isso neutralizado. O Herói precisa completar um destes antes de poder ir diretamente para a missão final e vencer o jogo. As missões finais consistem em escapar em uma nave ou matar uma criatura chefe.


//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O Mal

Já os jogadores do Mal vão gerar os dois níveis do mapa, este representando a nave espacial a ser explorada, estas são duas pequenas tábuas de dupla face, com corredores e espaços dispostos em diferentes formas.  Assim, tendo conhecimento das missões que o Herói deve realizar no mapa.

Os jogadores do mal vão colocando as peças nas salas (que contém a missão) no mapa, não se preocupe, tem um grande escudo do mestre para esconder as maldades dos jogadores do pobre herói. Eles também vão escolher em qual parte do navio o Herói será acordado, logo, quanto mais distante você puder colocar o destino dos Heróis, mais difícil será para eles completarem suas missões. Depois de posicionar estes locais estrategicamente, você pode adicionar algumas criaturas desagradáveis ​​como os vermes, parasitas, híbridos e cultistas.

E tudo isso será escondido atrás de uma tela do Herói, até que eles descubram enquanto exploram a embarcação escura e desolada, movimento bem parecido com os dos jogos de estratégia “fog of war”.

Por fim, os jogadores do Mal fazem antes de o jogo começar é selecionar dois de quatro baralhos de cartas para jogar: Fúria, velocidade, terror e armadilhas., cada um dando um benefício para combate, velocidade de suas criaturas, dano mental e dano em geral.

Essas cartas são de reação, porque o jogador do mal não tem realmente um turno, será o herói que toma todas as ações, sendo a única maneira que o jogador do Mal pode perturbar o Herói é jogar uma carta que diz que você pode jogar se o Herói se mover, ou acionar uma armadilha ou atuar com um monstro.

Componentes

O jogo contém uma grande quantidade de componentes, de tabuleiros, cartas e peças, a mais fichas do que você jamais precisará. O jogo possui apenas 23 miniaturas, todas muito bem-feitas, todavia, nas seções que joguei, nunca houve um enxame de inimigos no mapa principal.

Existe uma bandeja organizadora de plástico na caixa principal, o que considero uma grande vantagem, as duas expansões das metas do Kickstarter vieram em caixas pequenas para as miniaturas.  Um tabuleiro modular com impressão das salas e corredores iluminados e na escuridão, uma porção de tokens, escuto do mestre…digo overlord, e as caixas. Posso frisar que a qualidade é incrível, e a questão de um Kickstarter caber em uma caixa só me agrada demais.

Veredito

Alone board game é um dungeon crawler sci-fi envolvente e tenso, ele renova um estilo de jogo e possibilita várias formas de jogar.

É divertido com exceção do setup, e o fato que todos os 4 jogadores precisam entender bem as regras.

Outrossim, na minha opinião preferi ele com duas pessoas.

E ai? Que acharam de Alone? Comentem ai embaixo…