Curvem-se, pois sou o Imperador dos Sonhos. Coroei-me com sóis de milhares de cores.
Essa postagem é inspirada nos jogos Espadas Afiadas & Feitiços Sinistros, Dungeon Crawl Classics, Companhias Mercenárias de Belmonte e Blade of the Iron Throne.

Espada & Feitiçaria é um subgênero da fantasia que tem suas raízes em contos antigos. Sua popularidade aumentou e diminuiu ao longo de décadas, assim como a qualidade e fundamentos do que era publicado. Aqui vai uma seleção de autores e livros e que devem ser levados em consideração para compreender de forma acurada como levar esse gênero à mesa, bem como caçar inspiração.

1. Precursores
Não são exatamente títulos que mereçam o rótulo de Espada & Feitiçaria, mas possuem elementos fortes do gênero.

Epopéia de Gilgamesh. Anônimo. 2000 AC
Ilíada e Odisséia. Homero. 750 AC.
Beowulf. Anônimo. 900 AC.
A Canção dos Nibelungos. Anônimo. 1200 AD.

2. Pioneiros

John Carter de Marte e Tarzan. Edgar Rice Burroughs. 1875 – 1950.
Deuses de Pegana, Tempo e Os Deuses, A Espada de Welleran e outros. Lord Dunsany. 1878 – 1957.
Tros de Samothrace. Talbot Mundy. 1879 – 1940.
Marchando nas Areias. Durandal. Nur Mahal. O Mar dos Corvos. O Crânio de Shizard Mir e outros.
Harold Lamb. 1892 – 1962.

3. Fundadores
Aqui vamos citar prioritariamente autores, pois seus trabalhos foram vastos e possuem diversas facetas.

Clark Ashton Smith. 1893 – 1961. Zothique. Empério dos Necromantes. O Conto de Satampra Zeiros. A Ilha dos Torturadores. Xeethra. Necromancia em Naat. Outros.
Manly Wade Wellman. 1903 – 1986. Sojjar de Titan. A Invasão Solar. Gigantes da Eternidade. Ilha no Céu. Hok vai a Atlantis. Outros.
Robert E. Howard. 1906 – 1936. Conan. Kull. Solomon Kane. Bran Mak Morn. Black Vulmea. El Borak. Outros. A bíblia da Espada & Feitiçaria.
Fritz Leiber. 1910 – 1992. Lankhmar.
Catherine Lucille Moore. 1911 – 1987. Jirel de Joiry.
Henry Kuttner. 1915 – 1958. Elak de Atlântida.

4. Revisionistas
Autores que tomaram como base os trabalhos sacros do gênero e que criaram suas próprias produções tomando como base estes trabalhos. Alguns acabam por imitar alguns autores sem agregar muito a inovação de personagens, todavia as narrativas são boas no geral.

Norvell Page. 1904 – 1961. Filhos do Deus Urso. Ventos da Chama.
Lyon Sprague de Camp. 1907 – 2000. A Saga Pusadiana.
Gardner Fox. 1911 – 1986. Kothar. Kyrik.
Philip José Farmer. 1918 – 2009. Hadon da Antiga Opar e Vôo para Opar.
David Mason. 1924 – 1974. O Crânio do Feiticeiro.
Poul Anderson. 1926 – 2001. A Espada Quebrada. A Saga de Hrolf Kraki. Guerra dos Deuses. Temos aqui literatura que influenciou a criação do RPG de fantasia original.
Lin Carter. 1930 – 1988. Thongor de Lemuria.
Andrew J. Offutt. Nascido em 1934. Meu Senhor Bárbaro.
Michael Crichton. 1942 – 2008. Devoradores dos Mortos.
Glen Cook. Nascido em 1944. A Companhia Negra. Top Rogerinho.
David Drake. Nascido em 1945. Vettius. O Senhor Dragão. Assassino.
Keith Taylor. Nascido em 1946. Felimid Mac Fal. A Torre da Morte. Quandos os Pássaros da Morte Voam.
Robert Holdstock. 1948 – 2009. Corvo: Dama da Espada do Caos.
David C. Smith. Nascido em 1952. Para a Bruxa das Índias. Oron. Oron e o Feiticeiro das Sombras.
Tim Lukeman. Nascido em 1954. Rajan e Koren.
John C. Hocking. Nascido em 1960. Conan e A Lótus Esmeralda.
Howard Andrew Jones. Nascido por volta de 1970. As Crônicas de Espada e Areia.

5. Defensores
Buscaram suas raízes no material original para revisitar o gênero sem cair no pastache.

Brian Lumley. 1937. Egito: Khai de Khem.
Richard L. Tierney. 1936. Red Sonja. Simão de Gitta.
Michael Moorcock. 1939. Elric de Melniboné. Ao lado do Howard, é um dos nomes mais fortes do gênero.
Michael Shea. 1943. Nifft O Magro.
Karl Edward Wagner. 1945 – 1994. Conan e a Estrada dos Reis. Legiões das Sombras. Kane.
Charles Saunders. 1946. Imaro. Na Busca por Cush. A Trilha de Bohu.
Tanith Lee. 1947. Contos da Terra Plana. Volkhavaar. Matar os Mortos. Cyrion.
David Gemmell. 1948 – 2006. Lenda. As Primeiras Crônicas de Druss, O Lendário. A Lenda dos Caminhante da Morte.
Jessica Amanda Salmonson. 1950. Tomoe Gozen. A Naginata de Ouro. Guerreiro dos Mil Santuários.
Darrell Schweitzer. 1952. A Ilha Branca. Somos Todos Lendas.

Deixem de preguiça e leiam mais. Essas séries e filmes estão cozinhando o senso de fantasia de vocês.