Desenhar é da vida ao imaginário,
é transmitir emoção e sentir o poder do criador em sua criação.

Hey amigos e amigas de todas as querências!
Como vão vocês? Eu espero que bem.

Eu sou o Demink, vulgo Castilho e estou começando oficialmente hoje a minha jornada aqui na GDM.
Vou começar fazendo entrevistas com artistas no nosso nicho RPGístico.
Existe muita gente talentosa por aí! Eu quero apresentar eles para vocês, para que vocês contratem, indiquem para pessoas que precisam de artistas, ou simplesmente mandem mensagens dizendo o quanto eles são bons, porque artistas precisam ser elogiados o tempo todo.

Então sintam-se em casa e se precisarem de alguma coisa, me chamem.
Beijo no coração.


1) Fale um pouco sobre você e o seu trabalho.

R: Meu nome é Yuri, curso licenciatura em Artes Visuais e mais ou menos a um ano trabalho como ilustrador freelance para algumas editoras brasileiras. Como um amigo me disse uma vez “todo mundo desenha, mas só alguns continuam” e é meio que essa a realidade mesmo. Desenho desde a infância, muito por conta do acesso que eu tive a histórias em quadrinhos. Lendo Tex, Superman, Homem Aranha, Asterix entre outros. Após a leitura tu quer reproduzir os personagens no papel e assim inconscientemente começam os estudos de desenho por observação. Atualmente eu tendo a produzir ilustrações em preto e branco usando de pontilhismo e hachura para reproduzir volume nas figuras. Grande parte da minhas ilustrações são finalizadas digitalmente, mas ainda assim eu tenho muito carinho pelo desenho a lápis no papel.

2) Quais foram os principais artistas que influenciaram o seu trabalho?

R: Como eu disse anteriormente, eu sempre tive acesso a histórias em quadrinhos então tenho que citar Jim Aparo, John Byrne, Aurelio Galleppini (Tex) entre outros desenhistas de quadrinhos que despertaram meu interesse pelo desenho. Ai conforme o tempo vai passando tu conhece outros quadrinistas como Mike Mignola, Richard Corben, Kelley Jones e John Buscema e obviamente isso reflete no seu trabalho final. Porém eu não fui influenciado somente por quadrinistas, grande nomes da ilustração como Alan Lee, Peter Mullen Frank Frazetta ou Angus McBride de muitas formas também contribuem no meus estudos para compor um desenho. Nomes contemporâneos que me inspiram são Ariel Perez, Adrian Smith, Matt Rhodes, Igor Krstic, Johan Egerkrans, Dudu Torres e David Petersen, difícil fazer essas listas porque alguém sempre fica de fora.

3) Como começou a desenhar profissionalmente?

Este slideshow necessita de JavaScript.

R: Acredito que o primeiro trabalho que me trouxe alguma exposição como ilustrador foi a capa para o The Indie Hack: Hackeando No Rolê – Regras Opcionais 1 que foi lançado pelo canal Câmara Obscura no seu grupo do facebook. Dali eu conheci o pessoal da Fabrica Editora e as ilustras feitas para livros da Fabrica me abriram algumas portas para trabalhos em outras editoras.

4) Que dica você acha que faria a diferença na carreira dos novatos? Sabe aquele conselho que o seu eu de hoje daria ao seu eu do passado?

Dica 1 – Desenhe todo dia ou pelo menos todos os dias úteis da semana. Desenhar vem muito da prática então quanto mais prática melhor tu fica;

Dica 2 – Encontre as suas maneiras de executar um desenho. Essa é meio difícil de explicar, mas o que eu quero dizer é que procure jeitos que te façam sentido para construir ou finalizar o seu desenho. Um exemplo, eu sempre tive uma dificuldade em compreender pintura digital então eu fui procurar outras maneiras de finalizar os meus desenhos ai acabei encontrando o pontilhismo e dai segui estudando como outros ilustradores se utilizavam dessa técnica.

Dica 3 – Replique a estética de outros desenhistas porque assim tu encontra o seu estilo. Outra dica que funciona melhor com exemplo. Quando eu comecei a ilustrar digitalmente sempre quis reproduzir a estética visual do grande Mike Mignola, porém nunca me foi satisfatório os resultados. Com o tempo fui misturando outras estéticas e acabei chegando no tipo de desenhos que eu tenho hoje.

Dica 4 – Essa eu falo pra tudo mundo, produza mais e mais! Para mim essa “exaustão” de desenhar me ajudou a criar um ritmo para produzir minhas ilustrações.

Dica 5 -” Troque figurinhas” com amigos ilustradores. Conversar, dar conselhos e receber conselhos de outros ilustradores enrique-se bastante o seu trabalho.
Acho que são essas minhas dicas.

5) Deixe seus contatos, portfólios e quaisquer agradecimentos.

R: Primeiro que eu também sou novato faz só um ano que eu desenho regularmente e ainda nem é minha renda principal, mas vamos lá.
Meu portfólio:
https://perkowski.artstation.com

Meus contatos:
Solicitem commissions nos meus contatos, pode ser personagem de rpg, super herói, retrato ou qualquer coisa que o seu coração desejar.
Email: yuri.perkowski@gmail.com
Instagram: @yuri.perkowski
Twitter: @Yuriperkowski
Fabebook: yuri.perkowski
Meu zape zape, vulgo Whatsapp: 47 9 9733 5813

Queria agradecer primeiramente ao Carlos Castilho pelo convite de participar da entrevista. Para fechar gostaria de ressaltar a importância desse tipo de exposição para ilustradores nacionais, apresentá-los ao publico e ao mercado mostrando assim que existem opções nacionais para suprir as necessidades do mercado interno.

Demi.jpeg