Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado!

Fala galera!

A fantasia medieval é por excelência, a temática mais recorrente e amada dentre os jogadores de RPG em todo o mundo, não só o de mesa, mas também dentre todas as outras mídias no qual veio a se desenvolver.

Ter sido criado e inspirado pelos wargames épicos, sem dúvida contribui para essa máxima, mas alguns outros gêneros também se aproximam muito do gosto dos rpgistas em geral. Supers, Cyberpunk, Terror/Horror e… Artes Marciais!
As artes marciais sempre foram uma paixão entre os jogadores de RPG, (ainda que muitos deles não tenham chegado a praticar nenhuma…) e a presença da classe Monge entre as mais curtidas pelos jogadores de fantasia medieval, é uma pequena prova disso.
Inktober day 22 (Terry Bogard/ Fatal Fury)

Diferente dos outros gêneros, grande parte da diversão em um RPG de artes marciais está nos detalhes precisos da execução das técnicas e golpes ao longo de uma cena de luta. Obviamente a aventura sempre irá mexer com a imaginação e curiosidade dos jogadores, mas em um RPG de combates marciais, a luta em si muitas vezes é tudo o que o jogador busca.
Prova disso é que, quer esteja explorando o mundo atrás dos segredos dos antigos mestres, quer esteja desbaratando algum esconderijo da Yakuza em algum beco escuro, mais hora menos hora tudo vai acabar descambando em um super torneio de artes marciais.
Resultado de imagem para gurps artes marciais

Sem perder tempo, Steve Jackson e mais precisamente CJ Carella, elaboraram para seu filho mais ilustre, o suplemento Gurps: Artes Marciais.
Com o livro em mãos, um amante do gênero poderia aprender detalhes de técnicas de combate, estilos e até mesmo filosofias das artes, que permitiam a um jogador sem muito conhecimento, criar um background satisfatório para seu personagem lutador. Com alguma dificuldade, você ainda pode encontrar o Gurps Artes Marciais por aí, mas obviamente a um preço “especial” para colecionadores.

Anos depois com a febre dos arcades alcançando um patamar inédito, foi a vez de ver aquele que para muitos, é considerado o melhor jogo de RPG de artes marciais já criado: Street Fighter RPG. Com uma proposta bastante dinâmica e o apoio de amantes do jogo de vídeo game por todo mundo, SF rapidamente adquiriu adeptos ao longo de todos os anos 90. Por aqui, a revista Dragão Brasil chegou a lançar o jogo básico completo em 3 fascículos, e muita gente acabou adquirindo e conhecendo o jogo acreditando ser material para utilizar junto a jogatina de vídeo game (vide eu!).

Devido a um problema com os direitos do jogo de RPG no Brasil, infelizmente não foi possível ver qualquer suplemento sendo lançado por aqui após isso (as fichas de Sagat e M. Bison acabaram saindo de maneira individual nas páginas da DB), o que foi muito triste visto que com o hype mesas de SF e torneios pipocavam em eventos de RPG naquela época.
O jogo ainda possui uma comunidade bastante ativa e apaixonada dentro e fora do Brasil, tendo inclusive uma página no Facebook BR.
Atualmente, alguns fãs se reuniram e traduziram a versão SF 20 anos, que ficou linda demais e pode ser adquirida na própria página do FB.

Obs: Posteriormente a White Wolf fez um suplemento nos mesmos moldes (Combate) para ser utilizado de maneira menos “games” no seu Mundo das Trevas (com o qual o Street Fighter apesar de utilizar o mesmo sistema, tinha muito pouco haver).

https://i0.wp.com/mir-s3-cdn-cf.behance.net/project_modules/max_1200/b5819c43060917.57e1e9273e7eb.png?resize=660%2C516&ssl=1
Em certa ocasião estava comprando alguns livros, e para minha grata surpresa, me deparei com um jogo que me inspirou muito, cheio de drama, sofrimento… e boxe. O Desafiantes foi um jogo lançado aqui no Brasil pela Pensamento Coletivo, e traduzido e editado pela Lampião Game Studio. Vencedor do prêmio Ronnie’s 24h RPG Competition, em Desafiantes o jogador curte de forma mais vivida a sensação de ser um boxer tentando conseguir seu lugar ao sol. Além de uma carga emocional deliciosa, ele traz uma mecânica bastante minimalista ao utilizar cartas de baralho comum ao invés dos famigerados dados. Você pode conhecer melhor o Desafiantes aqui e também a adaptação que fiz para utilizá-lo com MMA aqui.

Um outro representante bastante interessante dos RPGs de artes marciais surgiu por aqui mesmo, no ano passado. Thiago Rosa do RPG Notícias resolveu pôr a mão na massa e assim surgiu o Karyu Densetsu, um jogo ao melhor estilo animes, com muito do sabor de SFRPG. Nele, temos uma proposta parecida ao casar atributos clássicos das artes marciais para executar manobras e golpes poderosos e espetaculares. Você também pode adquirir e conhecer melhor o KD aqui.

Por fim, a alguns meses eu também decidi criar um sistema que me permitisse jogar RPG com o feeling de artes marciais, elaborando uma mecânica intuitiva baseada em JoKenPo. Era o Super Fighter, um RPG de panfleto (na verdade já se expandiu para 4 panfletos) simpático e cheio de possibilidades. Com ele você vai poder jogar em qualquer lugar, sem a necessidade de fichas impressas para personagens, dados, lápis nem nada do tipo.
Com a colaboração dos integrantes da GdM, fiz os Guerreiros Lendários do circuito, e ficou muito divertido ver a galera lá em suas versões “lutadores de rua”. Se ficou curioso para conhecer o Super Fighter, basta clicar na imagem abaixo.

Ele pode ser adquirido no esquema Pague o quanto quiser no Dungeonist.

Tenho certeza de que muitos RPGs do gênero ainda vão surgir por aí, e sem dúvida serão muito bem vindos, afinal de contas… É preciso ir ao encontro do mais forte!

Ah, e se vc conhece algum jogo que tenha ficado de fora dessa lista, manda aí pelos comentários pra gente poder conhecer também!

Abraço!