Buscando inspiração pra sua campanha? Precisa de um novo vilão? Conheça o Coveiro!

Há muito tempo atrás, nesta galáxia mesmo, eu escrevi um artigo pro finado Moostache descrevendo um vilão para Old Dragon. Na verdade, esse vilão tinha surgido antes, em campanhas mais antigas de D&D 3.0, mas foi numa aventura para Advanced Fighting Fantasy 2e que o Coveiro se consolidou em minhas mesas. Na oportunidade, o grupo falhou miseravelmente e fugiu, deixando o norte de Allansia à mercê de um surto zumbi. A partir daí ele se tornou um NPC recorrente em todas as minhas campanhas de fantasia.

Como o Moostache foi descontinuado, resolvi disponibilizar o Coveiro aqui na Guilda dos Mestres, mas desta vez com uma novidade: dicas para utilizá-lo em sua campanha intergalática de Space Dragon!

O Espantalho liderando mortos-vivos.


O COVEIRO

Também conhecido como Anel Sepulcral, o Coveiro é um artefato na forma de um anel de prata com uma pedra negra engatada. Foi criado pelos deuses do Caos para abrigar a alma negra do sumo sacerdote que assolou a região há mais de trezentos anos, tornando-o, assim, virtualmente imortal, para perpetuar os desígnios de seus deuses no plano material.

O Coveiro.

O Coveiro não pode se comunicar com os vivos, a não ser através da voz ressequida de um cadáver que tenha animado. Ele pode criar e controlar mortos-vivos desprovidos de inteligência, como zumbis e esqueletos, à vontade e em qualquer quantidade, fazendo que que ajam coordenadamente, como se tivessem uma mente coletiva.

Em relação aos mortos-vivos inteligentes, como vampiros ou liches, o Coveiro pode controlá-los como um clérigo (cultista) de vigésimo nível.
E, assim como os cultistas, o anel também pode usar este poder contra criaturas ordeiras, afastando-as ou destruindo-as como um clérigo de vigésimo nível faria com mortos-vivos.

O Anel Sepulcral precisa assumir um corpo qualquer que tenha animado para poder interagir com o mundo. Quando esse corpo é destruído ou atinge tal estado de putrefação que dificulte essa interação, o anel simplesmente passa para um cadáver mais recente. Esse corpo animado torna-se ressequido rapidamente e é conhecido entre as forças do Caos pela alcunha de Espantalho.

Pode lançar as seguintes magias divinas 3/dia, como um clérigo caótico de vigésimo nível: Detectar alinhamento, Purificar alimentos/Apodrecimento, Imobilizar pessoas, Convocar insetos, Curar doenças/Pestilência, Dissipar caos/ordem, Praga de insetos, Cura completa/Toque da morte.

SPACE DRAGON

Em sua versão espacial o coveiro é um artefato tecnológico criado por uma espécie alienígena antiga para destruir seus inimigos.

Ele é capaz de controlar androides e robôs como um cientista de vigésimo nível faria de posse de seu disruptor positrônico. Assim como sua contra-parte da fantasia, ele precisa controlar um corpo artificial para interagir com o ambiente.

Além disso, pode influenciar qualquer maquinário com componentes eletrônicos, como veículos e naves, bastando que um eventual operador falhe numa JP adequada à situação.

Abraço e bons jogos!