Dicas e tabelas iradas sobre tipos de terreno para o seu Hexcrawl

Olá pessoal! Hoje iremos falar um pouco sobre tipos de terrenos  e como afetam a jornada do grupo no seu jogo. Vale ressaltar que este texto não foca num sistema de regras específico e leva em conta o que discutimos no texto Caixa de Areia #1 – Sobre o Hexágono. Para manter o texto multissistema sacrifiquei algumas informações que variam de sistema para sistema. Na dúvida, siga o seu instinto: mude as regras aqui apresentadas para que se adequem mais ao seu sistema favorito ou misture ambas as regras, se isso for o mais divertido para sua mesa!

Vários tipos de terrenos/acidentes geográficos foram deixados de fora deste textos, para fins de simplicidade. O objetivo é dar uma base para sua expansão. Por isso só descrevi os tipos mais básicos de terrenos.

 

Tabela de Terrenos

Terreno Desempenho Velocidade
por hora (Km)
Dia de
10 Horas (Km)
Planície 100% 4 40
Colinas (Suaves) 90% 3,6 36
Colinas (Acidentadas) 70% 2,8 28
Floresta (leve) 80% 3,2 32
Floresta (Mediana) 70% 2,8 28
Floresta (Densa) 60% 2,4 24
Selva 30% 1,2 12
Deserto 40% 1,6 16
Montanha (Suave) 60% 2,4 24
Montanha (Acidentada) 30% 1,2 12
Pântano 40% 1,6 16
  • Terreno: tipo de terreno/acidente geográfico.
  • Desempenho: porcentagem da velocidade máxima que se pode desenvolver ao atravessar o terreno. Tem como base a velocidade que o grupo desenvolve numa planície.
  • Velocidade por hora (Km): quantos quilômetros o grupo percorre em determinado terreno em aproximadamente 1 hora.
  • Dia de 10 Horas (Km): quantos quilômetros o grupo consegue percorrer em determinado terreno, levando em conta 10 horas de caminhada (não necessariamente consecutivas).

Lembrando que um dia de 10 horas permite ao grupo ter 8 horas de sono e ainda 6 horas para atividades diversas (paradas para comer, armar acampamento, cuidar dos equipamentos, etc…). Você pode ter um dia com somente 8 horas de deslocamento ou até mesmo com 12 horas de deslocamento, sempre lembrando que o isso vai produzir efeitos no grupo (com 8 horas por dia o grupo vai demorar mais, mas vai chegar mais descansado ao destino, por exemplo).

 

Capulin Volcano National Monument

Planícies (fonte: https://3dparks.wr.usgs.gov/cavo/html2/capu03.htm)

1. Planície

É uma grande área com pouca variação de altitude e poucos acidentes geográficos. Normalmente é um terreno plano e baixo, pouco acima do nível do mar. Esse tipo de terreno costuma ser o mais bem aproveitado por ocupações humanóides, devido a sua facilidade para construção, criação de animais e agricultura. Normalmente é fácil a orientação nesse tipo de terreno, mesmo com a ausência de marcos geográficos. Estradas em planícies normalmente servem como indicação da parte mais fácil de se atravessar o terreno. Trilhas em planícies normalmente são caminhos de terra batida, fornecendo o mesmo benefício das estradas no deslocamento quando bem conservadas ou simplesmente guiando o caminho quando mal conservadas (dispensando testes para saber se os PCs se perderam).

 

 

The hills of Patterson, California on May 29, 2011. © Susan Liepa.

Colionas suaves (fonte: http://www.mobileranger.com/blog/californias-golden-rolling-hills-arent-native/)

2. Colinas

É um acidente geográfico caracterizado por pequena elevação que se estende acima do terreno circundante e possuem fraco declive (vertentes com inclinação pouco acentuada). Apresentam certas características semelhantes as montanhas, mas as diferenças de nível são mais suaves. Nas regiões de colinas, tal como ocorre nas montanhas, o relevo quebrado predomina sobre o plano, mas as formas tendem a ser menores e arredondadas. Regiões com grandes concentrações de colinas limitam a visibilidade dos arredores. Em contrapartida, o topo de uma colina pode ser um excelente ponto para visualização da região, já que oferecem uma visão aérea desimpedida dos arredores.

 

Colinas acidentadas (fonte: http://seakayaking-stuart.blogspot.com.br/2013/05/the-old-man-of-storr.html )

Estradas oferecem indicação dos caminhos mais rápidos em regiões de colinas, oferecendo seu bônus normal. Entretanto é necessário observar que grupos com grandes carregamentos e carroças com animais podem ter problemas, caso precisem subir colinas muito íngremes. Trilhas servem para marcar o caminho, dispensando testes para saber se os PCs se perderam.

 

Floresta leve (fonte: http://christicenter.org/wp-content/uploads/2013/08/tree-grove.jpg)

3. Florestas

Uma floresta é basicamente uma área que apresente alta densidade de árvores que formem uma espécie de teto com suas copas. Podem apresentar diversos tipos diferentes de nomenclaturas e composição como por exemplo bosque, taiga, mata, arvoredo, etc.

Para fins de deslocamento no mapa, eu defini três tipos de florestas:

  • Leve,com vegetação esparsa e boa visibilidade. Nesse tipo de floresta é relativamente fácil de se deslocar sem se perder, principalmente em locais onde existam marcos geográficos. As copas das árvores não costumam se fechar ao ponto de ser difícil a navegação pelo sol (de dia) ou pelas estrelas (de noite). Trilhas aqui servem para ajudar no deslocamento mais rápido (5% de bônus).

Floresta mediana (fonte: http://www.beeswing.net/2014/10/can-bees-survive-in-wild.html)

  • Mediana, com vegetação em maior quantidade que dificulta a visualização de distâncias acima de 10-20 metros. Pode ser difícil a orientação nesse tipo de floresta, dependendo do tipo de árvores que a compõe. Coníferas por terem as copas mais estreitas não atrapalham a visibilidade do céu, por exemplo, enquanto florestas tropicais, normalmente com folhas largas e copas frondosas, dificultam a visualização do céu e dos marcos geográficos ao redor. É relativamente fácil se perder nesse tipo de floresta. Trilhas aqui servem para evitar a necessidade de jogadas para saber se o grupo se perdeu.

Floresta densa (fonte: https://ogimg.infoglobo.com.br/in/20930227-ada-273/FT1086A/652/floresta-da-tijuca_12.jpg)

  • Densa, com vegetação em abundância, que só permite visualizar o que está imediatamente à sua volta num raio de 2-3 metros. É muito difícil se orientar pelo sol durante o dia e impossível se orientar pelas estrelas durante a noite. Marcos geográficos são totalmente inúteis como forma de orientação. Somente subindo numa árvore alta é possível observar o céu ou qualquer outro ponto que sirva de orientação nesse tipo de floresta. Trilhas aqui servem como a única forma de atravessar sem se perder. Dificilmente algum grupo atravessaria esse tipo de floresta, sem trilha ou de alguma outra forma mágica, sem se perder algumas vezes.

Selva (fonte: https://c1.staticflickr.com/3/2376/1528017706_36bc5a7782_b.jpg)

4. Selva

É um bioma normalmente virgem, que possui uma vasta diversidade de flora e fauna, com vegetação bastante densa e de difícil travessia. É uma espécie de Floresta (Densa), só que mais compactada ainda, onde praticamente não se encontra vestígios de presença humanoide. A dificuldade de travessia se deve a quantidade de material vegetal abundante, que normalmente requer que o grupo que precise atravessar a Selva abra uma trilha (picada) para poder prosseguir. É quase impossível simplesmente atravessar uma região de selva sem ser por uma trilha. Trilhas aqui, em estado razoável, permitem ao grupo poder atravessar a Selva como se fosse uma Floresta (Densa), ou seja, com 60% de desempenho sem a necessidade de rolagens para não se perderem.

Imagem relacionada

Deserto (fonte: http://matutinazo.com/2017/03/25/nuevo-estudio-sugiere-humano-habria-provocado-la-sequia-del-sahara/)

5. Deserto

Desertos são regiões onde praticamente não existe precipitação de chuva. Por isso, normalmente são quentes e áridos. Apesar disso é um tipo de terreno onde existe alguma diversidade biológica altamente especializada em sobreviver nesse habitat. Os desertos têm uma grande amplitude térmica, apesar de serem extremamente quentes durante o dia com temperaturas de até 50ºC-60ºC, como as areias não são capazes de armazenar calor, não é incomum que tenham noites extremamente frias, atingindo até mesmo temperaturas abaixo de 0ºC.

Essa enorme variação torna qualquer tentativa de se atravessar um deserto sem o equipamento adequado ou sem a devida preparação em morte certa. A visibilidade no deserto pode variar de excelente (nos desertos mais planos) a restrita (em desertos com grandes dunas semelhantes a colinas). Trilhas aqui servem única e exclusivamente como marcos de localização, não auxiliando em nada a velocidade do deslocamento do grupo.

Montanha suave (fonte: https://www.hfholidays.co.uk/media/cache/54/02/5402f019f00349eb1125afdac718e447.jpg )

6. Montanhas

Montanhas são formações rochosas de alto relevo, normalmente de difícil travessia, principalmente quando se utilizam animais. Não é incomum que, na ausência de estradas ou trilhas pré-determinadas, as pessoas escolham contornar uma montanha (quando possível) a atravessar por elas. Podem ser encontradas tanto solitárias como em grandes quantidades (formando cordilheiras).

Mesmo em locais com trilhas, a montanha pode representar outros perigos, como por exemplo o ar rarefeito em grandes altitudes. Mesmo se mantendo em trilhas bem mapeadas e utilizadas, quem atravessa uma montanha pode estar se expondo a riscos, como deslizamentos, hipotermia e até mesmo tempestades. Para fins de deslocamento no mapa, eu defini dois tipos de montanhas:

  • Suave, com acessos fáceis e sem subidas ou quedas abruptas. Esse tipo de montanha pode ser acessível até mesmo a animais não especializados no terreno (como cavalos). Normalmente não é necessária a utilização de equipamentos de escalada para se atravessar esse tipo de montanha.

Montanha acidentada (fonte: https://cdn.shopify.com/s/files/1/1864/0769/files/blog_annapurna_route.jpg )

  • Acidentada, possui acessos difíceis, com muitas escarpas, quedas e passagens estreitas e/ou íngremes. São impossíveis de se atravessar com qualquer tipo de montaria ou animal de carga e normalmente é necessária a utilização de equipamento de escalada.

Trilhas aqui servem, nas Montanhas (Suave) para se atravessar da maneira mais rápida, garantindo um bônus de 10% no desempenho. Nas Montanhas (Acidentada), a trilha pode indicar um caminho onde não é necessária a utilização de equipamentos de escalada ou podem indicar um caminho mais rápido, garantindo um bônus de 10% no desempenho.

 

Pântano (fonte: https://cdn-images-1.medium.com/max/1600/1*K6Xr9VwgvDZrAmIg2EWNog.jpeg)

7. Pântano

É uma área plana com grande concentração de vegetação arbustiva que permanece a maior parte do ano inundada. Eles surgem normalmente em áreas onde o escoamento das águas é lento ou não ocorre. Isso faz com que toda vegetação presente dentro e fora da água se decomponha e fique na própria região. A grande dificuldade de se atravessar um pântano vem normalmente do fato de ser quase impossível criar algum tipo de trilha no local.

Os locais que inundam tendem a mudar ao longo das estações, dificultando assim a marcação de trilhas em locais mais altos. Atravessar por dentro das águas do pântano apresenta uma série de outros desafios, pois muitos animais vivem em suas águas ricas em nutrientes. De sanguessugas a jacarés, passando por bactérias que podem causar infecções generalizadas caso entrem em contato com a corrente sanguínea de uma pessoa, são muitos os motivos para se ficar fora das águas de um pântano.

As raras Trilhas aqui servem somente para marcar um caminho pelo terreno mais alto e impedir que as pessoas se percam. Mas são sempre trilhas temporárias, que podem deixar de existir em questões de semanas, dependendo da estação do ano.

 

Condições

Condições Desempenho Observações
Estrada +10% Em bom estado. Uma estrada ruim funciona como trilha
Trilha Ver o funcionamento na descrição do tipo de terreno
Muito Frio ou Calor -10% Com os equipamentos apropriados, é possível ignorar o redutor
Extremamente Frio ou Calor -30% Com os equipamentos apropriados, tratar como muito frio ou calor.
Visibilidade Ruim -10% Neblina, escuridão, superfície refletindo o sol, etc…
Chuva (Fraca) -5%
Chuva (Forte) -10%
Tempestade -25%
Neve (Suave) -10%
Neve (Densa) -30% Com os equipamentos apropriados, tratar como suave.
  • Condições: é uma característica que pode ser aplicada ao terreno, auxiliando ou atrapalhando o deslocamento nele.
  • Desempenho: é o valor que afeta o Desempenho do terreno. Esse valor deve ser somado ou subtraído diretamente ao Desempenho do terreno (por exemplo, uma Planície com Estrada =110% de desempenho; uma Floresta (Mediana) com Chuva (Forte) = 60% de desempenho).
  • Observações: são descrições de características especiais de cada entrada na tabela.

Deslocamento

Tipos de
Deslocamento
Desempenho Observações
Normal/Marcha
Marcha Forçada +30% Ao fim do dia é necessário passar num teste de constituição com um
redutor igual ao número de horas de marcha forçada durante o dia
ou ficar exausto/machucado por 24 horas (-50% de deslocamento).
Explorando -50% Aumenta consideravelmente a chance de emboscadas.
Forrageando -40%
Cautelosamente -60% Elimina consideravelmente a chance de encontros/ser visto

Chaves da Tabela

  • Tipos de Deslocamento: são atividades específicas que afetam diretamente a velocidade que o grupo pode desenvolver enquanto se desloca por um terreno.
  • Desempenho: é o valor que afeta o Desempenho geral do grupo. Esse valor deve ser somado ou subtraído após o cálculo do valor total de Desempenho do terreno e condições e não diretamente as porcentagens (Ex: Planície com Estrada = 110% = 4,4 Km/h ou 44 Km num dia. A esse valor, somamos 30% da Marcha Forçada = 4,4 Km/h + 30% = 5,72 Km/h ou 57,2 Km num dia).
  • Observações: são descrições de características especiais de cada entrada na tabela.

 

Tipos de deslocamento

Nenhuma dessas entradas podem ser combinadas entre si (não é possível uma Marcha Forçada enquanto se está conduzindo a Exploração do terreno ou Forragear Cautelosamente). 

Normal/Marcha:  é o modo padrão de deslocamento. O grupo caminha numa velocidade que não é a mais rápida possível, mas tem ritmo que pode ser mantido o dia inteiro com poucos intervalos.

Marcha Forçada: o grupo se desloca alternando entre caminhar apressadamente, trotes e corrida. Apesar de ser o método mais rápido de deslocamento a pé, é extremamente penoso ao grupo. O esforço de um dia de Marcha Forçada pode produzir calos, assaduras, torções, cansaço muscular entre outros danos. A Marcha Forçada costuma produzir efeitos que duram alguns dias até que a pessoa se recupere deles, portanto, quanto mais dias consecutivos de Marcha Forçada, mais esses efeitos podem se acumular.

Explorando: o grupo se desloca pelo terreno tentando investigar o máximo possível seus arredores. Não se trata simplesmente de ir do ponto A ao ponto B, mas sim de investigar cada poço, pedra estranha, árvore, buraco no chão sem se desviar muito da sua rota. É usado quando o grupo quer mapear uma determinada região. Não vai revelar locais secretos e coisas do tipo, o objetivo aqui é averiguar o que está explícito no terreno para a confecção de um mapa ou identificar os melhores locais de passagem em colinas (por exemplo). Nesse tipo de movimentação o grupo fica mais exposto a emboscadas e encontros aleatórios, já que é difícil realizar uma exploração aberta de maneira sorrateira.

Forrageando: o grupo se desloca enquanto busca por fontes de alimento ou água. Pode ser o deslocamento um pouco mais cauteloso em busca de animais que possam ser caçados como a busca por frutos em árvores e arbustos ou de cogumelos em pedras. Esse valor de desempenho representa uma média entre todas essas ações, já que pegar frutos numa árvore é certamente mais rápido do que conseguir abater um cervo.

Cautelosamente: o grupo se desloca de maneira a diminuir ao máximo possível sua visibilidade no terreno. Move-se junto à base das montanhas ou colinas, por entre as árvores ou mesmo fica parado durante alguns minutos para esperar que um grupo de camponeses passe pela estrada antes de atravessá-la, para que não sejam notados. O objetivo aqui é passar sem ser visto por ninguém e sem deixar muitos rastros. Esse tipo de deslocamento diminui consideravelmente a possibilidade do grupo ser emboscado ou de encontros aleatórios (exceto em se tratando, por exemplo, de animais predadores que utilizem seus outros sentidos, que não a visão, para a caça).

E por hoje é isso, pessoal. Espero que tenham gostado das tabelas e não se acanhem em diminuir ou aumentar a complexidade delas, se isso for atender melhor a sua mesa. O objetivo principal aqui foi traçar uma base a partir da qual vocês possam expandir ou mesmo construir do zero suas próprias tabelas!

Se vocês tiverem dúvidas ou sugestões, por favor, deixem seus comentários aqui no post! E até o nosso próximo encontro!