3 monstros interessantes direto do AD&D para sua mesa

Com o nascimento do meu filho tive que mudar muita coisa na minha vida. Meu livro Companhias Mercenárias de Belmonte deu uma atrasada monstruosa e meu escritório deu lugar para o quarto do bebê. Mas nesse fuzuê todo de reorganizar a casa eu esbarrei nos meus livros de AD&D.

Hoje veremos 3 monstros do AD&D que quase não vi em mesa, mas acho que são irados!!!

Aurumvorax, o tesouro vivo

Arte original do Monster Manual do AD&D

Esse monstrinho fofinho nada mais é do que um baú de ouro ambulante. Seus pelos são de ouro, seus dentes de cobre e seus olhos são de prata e ouro. Seu cadáver pode ser derretido e render uns 100 quilos de ouro!!!

Ele monta covil perto de regiões florestas arejadas, colinas e cavernas nas montanhas. Devido às suas necessidades alimentares, o aurumvorax vive em locais que contenham minas de ouro, ou em regiões onde o ouro pode ser facilmente encontrado.

Dá para se aposentar só com um Aurumvorax, mas como o nome sugere ele é bem voraz!

Apesar de ser do tamanho de um grande texugo, o aurumvorax, é uma criatura incrivelmente perigosa. Ele ataca qualquer um que entre em seu território e com bônus de surpresa e para defender crias. Após acertar uma mordida ele trava a mandíbula e mantém seus dentes presos na vítima até que um dos dois morra. Apenas a morte fará com que o aurumvorax relaxe a mandíbula, solte a vítima e pare de usar suas 8 patas para retalhá-la!

 Anão do the-murdellicious muito esperto usando o bicho pra farejar ouro!

Graças a seus ossos e pele, incrivelmente densos, o aurumvorax sofre apenas metade do dano de armas de concussão. Ele é imune aos efeitos do fogo natural, desde que em pequena quantidade, e sofre apenas metade do dano de fogos mágicos. Venenos ou gases não possuem efeito sobre essa resistente criatura. Ele vale muito, mas é duro derrubá-lo!

Criador das Profundezas e a indústria da dungeon

A verdadeira fábrica de monstros!

Os criadores das profundezas são monstros bizarros, que dão à luz outros monstros que já tenham devorado antes. Apenas um deles já é suficiente para tomar uma grande área perigosa e uma boa desculpa para o mestre poder usar tudo que é monstro que quiser ao mesmo tempo!

Esse monstro é basicamente uma bola gosmenta flutuante com 3 tentáculos comuns e 3 com bocas cheias de dentes. Ele possui 40 olhos e pelo menos 3 ou 4 sempre estão estendidos e longe do perigo.

Geralmente se esconde sob sua pilha de tesouros e ataca os gananciosos primeiro

versão mais moderna do monstro

Em combate o feioso manipula armas e itens mágicos com seus tentáculos, além de poder usar magias de paralisia, respirar na água e até cura completa! Se o bixo pegar pro seu lado uma rota de fuga se revela ali do lado. Monstro sagaz, ardiloso e bem preparado.

Golem fantoche, o boneco Chucky!

Que tal ganhar esse boneco de natal?

Na parte dos golens tinha muita coisa doida, mas um dos mais curiosos era o que parecia um boneco de criança. Nossa! Além de bizarra aparência, seu conceito era bem doido também, veja a descrição do livro:

O fantoche é uma versão animada de um brinquedo de criança, e pode ser usado tanto para praticar o bem (defender as crianças) quanto o mal (atacá-las). Na maioria das vezes, esses seres são construídos para parecerem alegres e brilhantes. Entretanto, após a ativação, suas feições tomam-se distorcidas e terríveis.

MM AD&D

Esse pequeno capetinha possui imunidades e resistências especiais de golem e sua mordia causa 3d6 de dano fora o efeito bizarro de deixar o alvo em estado de histeria, gargalhando e sofrendo danos até morrer de rir, literalmente!

Os primeiros exemplares desse golem surgiram no Semiplano do Terror, na terra de Sangüínia e eu consigo ver a cara de surpresa dos jogadores quando um deles surgir na campanha.

Eu já pensei em usar esse fantoche como guarda costas de uma criança perseguida, como assassino de um bruxo para eliminar inimigos na corte e ate como receptáculo para a alma de algum vilão que eu quisesse reviver na campanha.

Qual monstro das antigas você acha interessantes?

É isso ai meu povo, um abraço nostálgico para vocês.

PEP

pagina 197