Tradução de um excelente artigo do Sly Flourish para Novatos e Veteranos!
Essa postagem é a tradução livre de um artigo do autor Mike Shea no blog Sly Flourish no dia 15 de julho de 2019. O propósito é propagar o conteúdo da mensagem para os colegas que não detém domínio da língua inglesa.

Confira a postagem original em http://slyflourish.com/letters_to_dungeon_masters.html


Estamos em uma época maravilhosa para nosso hobby. O número de pessoas que jogam D&D parece ter dobrado a cada dois anos. Temos uma nova safra de Mestres de Dungeons & Dragons surgindo a cada ano.

Muitos de nós joga D&D a décadas. Estamos “segurando a tocha” como diz Grant Ellis. Nós jogamos quatro ou cinco versões desse jogo ao longo dos anos e temos décadas de experiência jogando esse jogo.

Essa mistura de novatos e veteranos pode trazer uma incrível riqueza de experiências compartilhadas tanto dos novos, quanto dos antigos Mestres do Jogo.

Se assim for permitido.

No artigo de hoje, ofereço duas cartas; uma para os novos mestres e uma para os veteranos. Meu objetivo é ajudar a estabelecer uma ponte para que ambos possam compartilhar suas experiências e aprender uns com os outros, sem a barreira dos anos entre nós.

Uma carta aos Novos Mestres

Seja bem-vindo a um dos mais maravilhosos hobbies da vida. Dungeons & Dragons aproxima amigos para contar histórias fantásticas que rivalizam com os livros que lemos ou o que vemos nas telonas. Com a mistura de ideias criativas entre nós, os jogadores e a aleatoriedade dos dados, apreciaremos histórias que estarão conosco o resto das nossas vidas. Iremos construir mundos juntos.

Esse hobby também pode ser intimidador. Podemos negar nossas inibições e nos tornar crianças novamente. Podemos brincar de faz de conta outra vez. Estamos dispostos a cometer erros. Devemos passar por cima do medo de parecer estúpidos na frente dos nossos amigos. Quão mais espertos, mais ricos nossos mundos imaginários se tornarão, se estivermos dispostos a virar as costas para as barreiras que a sociedade criou sobre nós nessa tentativa de “ser adulto”.

Não precisamos ter medo. Milhões de pessoas de todas as idades estão curtindo Dungeons & Dragons. Grupos como o Critical Role nos mostram que adultos podem brincar de faz de conta.

Também pode ser intimidador para novos jogadores falar com veteranos que jogam a décadas. Muitos veteranos gostam de falar para os novatos a quanto tempo eles jogam. Isso pode assustar os novos Mestres, fazendo-os acreditar que precisarão de anos até ficarem bons nesse jogo. Muitos veteranos gostam de se gabar de seus contos de guerra. Falar sobre THAC0 e como foi desbravar a Tumba dos Horrores. Faz muito tempo desde que alguém se importou em ouvir essas histórias, então eles sempre estarão buscando alguém pra aporrinhar.

Alguns veteranos, todavia, usarão sua experiência para tentar se colocar acima dos novatos. Intimidarão os novatos que chegam ao hobby. Eles temem as mudanças que chegam ao jogo e que eles não gostam. Temem não ter voz ativa como tiveram por anos. Vão comparar seus anos de experiência com os novatos, como se existisse um requisito que os Novos Mestres precisassem atender.

Aqui vai um segredo. Esses anos de experiência não dizem nada sobre quão bom Mestre eles são. Esse tempo todo eles podem ter se mantido amarrados a um estilo por décadas. Fecharam suas mentes para novas formas de pensar sobre o jogo. Eles ignoram o Critical Role e criticam abertamente. “Isso não é D&D” eles dizem, unicamente porque não é a forma que eles conheceram e jogaram. Apenas reclamam sobre o crescimento do jogo.

Nesse hobby, anos de experiência não são um indicador de quão bom você é. Em apenas alguns meses você pode tornar-se um grande Mestre. Temos abundância em recursos para formar grandes Mestres. Podemos aprender as regras básicas, assistir pessoas jogando, tirar dúvidas, compartilhar experiências, adquirir ferramentas e encontrar pessoas para jogar online. Nunca foi tão fácil cair de cabeça no jogo e nunca foi tão fácil ser um jogador melhor do que agora.

Você pode ser um grande Mestre do Jogo em apenas uns poucos jogos. Após 50 sessões, você poderá se tornar tão bom quanto qualquer outro desde que continue crescendo e aprendendo na jornada.

Esse caminho, claro, não é o mesmo para todo mundo. Você precisa encontrar dicas e truques que ajudarão você.

Você não precisa de anos de experiência para ter excelentes sessões de D&D. Mantenha os olhos abertos. Continue a aprender. Compartilhe experiências. Preste atenção nas experiências alheias. Faça essas coisas e você será um excelente Mestre do Jogo.
Você consegue.

Uma carta aos Mestres Veteranos

D&D está mudando. Você e eu temos decisões a tomar enquanto o número de pessoas que começam a jogar só aumenta. Podemos ficar chateados ou abraçar isso. Tenho dúvidas se alguém pode ficar chateado ativamente, mas no subconsciente. Precisamos afastar esse sentimento e lembrar que cada Novo Mestre pode tornar a comunidade melhor. Cada Novo Mestre pode trazer experiências que podem nos trazer aprendizado.

Isso significa dar boas vindas aos novatos do hobby. Isso significa os ensinar a dar nós e facilitar a visão deles para o que o jogo oferece. Tente ver a partir do ponto de vista deles e ensinar coisas que os ajudarão. Eles não sabem quão difícil era fazer multiclasse na primeira edição. Eles precisam saber como jogar o jogo agora.

Podemos começar tornando fácil a possibilidade dessas pessoas começarem sem colocar nossos anos de experiência como uma barreira. Não comece uma conversa sobre a quantos anos você joga D&D. Pergunte sobre as experiências deles. Escute antes de falar. Se eles perguntarem, apenas responda “Jogo a algum tempo…”. Não comece a cavar décadas entre eles e você.

Aqui vai algo ainda mais importante. Você tem muito a aprender agora, tanto quanto tinha que aprender a anos atrás. Novos Mestres podem trazer novos lugares, históricos e experiências. Eles possuem novas ideias das quais podemos tirar algo.

Podemos aprender com eles tanto quanto eles podem aprender conosco.

Feche o bico e os assista, seja em discussões online, por vídeo ou no dia a dia. Veja, ouça e aprenda. Fique de olhos e ouvidos abertos para o que eles podem trazer a mesa.

Podemos pensar que com nossas décadas de experiência não há nada novo sob o sol. Estamos errados. Podemos aprender mais com esses novatos. Abrace a filosofia de estar sempre aprendendo e aprimorar seu estilo como nunca antes.

Podes estar perfeitamente feliz com o modo que joga a anos. Seu grupo também. Se for o caso, vá com Deus. Não há nenhuma obrigação em mudar a forma que você joga. Só não assuma que o seu jeito é o jeito certo. Existem diversas formas de apreciar esse jogo.

Mesmo pequenos toques podem nos trazer mais alegria aos nossos jogos. Buscar pequenos experimentos continuamente para trazer ar fresco aos nossos anos de jogo. Se você sente dentro de você certa resistência a mudar, pare um pouco e pergunte-se a razão. O que segura você? Não precisa dar um salto de fé. Pequenos experimentos podem te levar longe.

Aprendam uns com os outros

Podemos ter seis meses ou trinta anos de experiência, podemos aprender uns com os outros. Esse hobby, mais que nunca, está recheado de formas e caminhos para compartilhar experiências. Temos acesso a mais material do que podemos digerir. Jogue, veja os outros jogando, busque dicas, ouça outros Mestres do Jogo e tenha suas sessões one shot para apreciar o que o jogo oferece.


Se você gostou desse artigo, considere acompanhar o trabalho original na página http://slyflourish.com/ e aqui na Guilda dos Mestres. Temos o pensamento alinhado e gostamos de trazer novas pessoas para nossas mesas.

Um abraço d’O Cérebro no Jarro.